top of page

Velha Guarda da Estação Primeira de Mangueira é declarada Patrimônio Cultural e Imaterial do Rio de Janeiro

Verde e Rosa recebe mais um reconhecimento por sua importância para a preservação e perpetuação do samba e do carnaval


Foto: JM Arruda

RIO DE JANEIRO - É Verde e Rosa; é Patrimônio Imaterial! A Velha Guarda da Estação Primeira de Mangueira acaba de ser declarada Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial pela cidade do Rio de Janeiro. Na decisão, a prefeitura considera a importância da Mangueira para a preservação da memória e da história do samba e do carnaval carioca; e destaca a necessidade de se reconhecer e contribuir com a preservação e perpetuação dos que são responsáveis pelo tradicional carnaval, pelo samba e pela cultura da Cidade.


Criada em 1943, por alguns dos fundadores da própria agremiação tais como Cartola e Carlos Cachaça, a Velha Guarda da Verde e Rosa já chegou a contar com 150 integrantes. Atualmente, são 50 componentes que precisam ser sócios da Escola por mais de 30 anos, e ter acima de 60 anos de idade. 


“Existe o respeito, a consideração, a ideia de preservar as histórias, da ancestralidade, sempre existiu”, destaca Dona Gilda Firmino, presidente da Velha Guarda da Mangueira, lembrando que, ao longo do tempo, prevaleceu na agremiação a ideia dos mais velhos como fonte muitos saberes. “Até hoje somos consultados”, conclui.


A medida está em vigor desde o último dia 8 de maio.


Sobre a Estação Primeira de Mangueira:

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira (ou simplesmente Estação Primeira de Mangueira) é uma tradicional escola de samba brasileira da cidade do Rio de Janeiro conhecida e admirada em todo o planeta. A agremiação, que tem nas suas cores (verde e rosa) uma de suas marcas registradas, acumula 96 anos de glórias e de histórias e é uma das mais importantes instituições culturais do Brasil. Seus símbolos, o surdo, a coroa, os ramos de louros e as estrelas podem ser vistos na bandeira da escola. Tornou-se um celeiro de bambas que despontou e inspirou lindas obras decantadas em todo o mundo. Foi fundada em 1928, no Morro da Mangueira, pelos sambistas Carlos Cachaça, Cartola, Zé Espinguela, Tia Fé, Tia Tomásia, entre outros. Sua quadra está sediada no bairro do mesmo nome. Detém vinte títulos do carnaval. Atualmente, é presidida por Guanayra Firmino, primeira mulher eleita presidente da Mangueira. (https://mangueira.com.br/)

Comentários


dba36d_ed1833afb2024b58a83564e5ff3597ff_mv2.png
20230401_140001.png
bottom of page