top of page

Mangueira promove encontro entre jornalistas e parte de sua diretoria

Bate-papo aconteceu no Bar Mangueira, espaço oficial da escola, teve como objetivo aproximar repórteres e comunicadores parceiros e apresentar novas iniciativas da Verde e Rosa


Foto: Divulgação da Escola

Rio de Janeiro - A Estação Primeira de Mangueira promoveu, neste domingo (27/8) um encontro entre parte de suas equipes de Comunicação, Imprensa e Projetos Especiais e jornalistas especializados no tema do Carnaval e também outros que cobrem o assunto em grandes veículos no Rio de Janeiro. O bate-papo aconteceu no Bar Mangueira e teve como principal objetivo aproximar a escola deste público, apresentar novos integrantes e estratégias do time de divulgação da da escola e também novas ações e iniciativas que têm marcado a gestão da presidente Guanayra Firmino, primeira mulher eleita para estar no comando da Verde e Rosa.


O encontro teve a presença de parte da diretoria e da presidência da Escola, da vice-presidente de Projetos Especiais da agremiação, Rafaela Bastos, e de Victor Amâncio, vice-presidente de Divulgação, entre vários outros integrantes. Rafaela aproveitou para detalhar como está sendo conduzido o projeto de conservação na quadra da Mangueira, baseado nas diretrizes de gestão de marca da escola. A reabertura acontece no dia 2 de setembro, quando ocorre a primeira Eliminatória de Samba-Enredo com a apresentação dos sambas concorrentes para o próximo carnaval.


"Todo este processo, em parceria com a vice-presidência de Patrimônio, tem um motivo especial: queremos valorizar o patrimônio da escola, destacando nossa história e trazendo mais conforto para a nossa comunidade e frequentadores vibrando a nossa identidade visual verde e rosa. Um investimento da presidente Guanayra na valorização da nossa Mangueira", conclui Rafaela.


Victor Amâncio contou um pouco sobre sua trajetória na Mangueira e sobre sua ligação com a escola. Como vice-presidente de Divulgação e à frente das redes sociais da Verde e Rosa, ele detalhou um pouco as estratégias de Comunicação e também da assessoria de imprensa da agremiação. “Buscamos atuar em alinhamento com a gestão de marca, em parceria com a assessoria e quando fazemos algo, não é por fazer, mas tentamos fazer bem, com estratégia”, conclui. Victor aproveitou para agradecer pela presença do grupo que compareceu, apesar do domingo chuvoso, em nome da presidente Guanayra Firmino.


O bate-papo foi seguido de uma feijoada e pela apresentação da Roda de samba dos intérpretes oficiais da Mangueira: Marquinhos Art Samba e Dowgllas. Por último, os presentes ainda conferiram um ensaio da bateria da Mangueira.


Foto: Divulgação da Escola

A ambientação do Bar Mangueira, o bar oficial da Escola, foi feita em parceria com a vice-presidência de Projetos Especiais e é inspirada no universo do carnaval e na história da Verde e Rosa e nas diretrizes do projeto de gestão da marca da Estação Primeira, idealizado por Rafaela Bastos.

Sua decoração é marcada por elementos que remetem à cultura brasileira, como adereços, instrumentos musicais e pinturas coloridas. As cores da escola, verde e rosa, são utilizadas de forma marcante, criando um ambiente vibrante e alegre. Além disso, a iluminação especial contribui para reforçar o clima de festa e celebração. A ideia do Bar surgiu do desejo de expandir a marca e a experiência da Estação Primeira de Mangueira para além das zonas norte, centro e sul cariocas, ampliando as fronteiras da sua comunidade e da época do carnaval chegando com conforto à Zona Oeste e ao território com maior número de casas de shows do Rio.


Com o objetivo de oferecer ao público uma experiência única, independente de sazonalidade e localização, o espaço celebra a cultura do samba, do Carnaval e da Mangueira, não só a escola de samba, mas também o morro, de forma permanente, com uma programação diversificada e inclusiva, que engloba desde a música até a decoração e a gastronomia. Assim, o espaço se tornou um projeto pioneiro, sendo o primeiro bar de uma escola de samba fora da sua comunidade, e que proporciona ao público uma experiência imersiva na cultura da Mangueira e do samba carioca, além de empregar profissionais do mundo samba, da cultura de favela e do próprio Morro da Mangueira, valorizando a tradição e a história da escola, mas também abrindo espaço para a diversidade e a renovação.


Sobre a Estação Primeira de Mangueira:

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira (ou simplesmente Estação Primeira de Mangueira) é uma tradicional escola de samba brasileira da cidade do Rio de Janeiro conhecida e admirada em todo o planeta. A agremiação, que tem nas suas cores (verde e rosa) uma de suas marcas registradas, acumula 95 anos de glórias e de histórias e é uma das mais importantes instituições culturais do Brasil. Seus símbolos, o surdo, a coroa, os ramos de louros e as estrelas podem ser vistos na bandeira da escola. Tornou-se um celeiro de bambas que despontou e inspirou lindas obras decantadas em todo o mundo. Foi fundada em 1928, no Morro da Mangueira, pelos sambistas Carlos Cachaça, Cartola, Zé Espinguela, Tia Fé, Tia Tomásia, entre outros. Sua quadra está sediada no bairro do mesmo nome. Detém vinte títulos do carnaval. Atualmente, é presidida por Guanayra Firmino, primeira mulher eleita presidente da Mangueira. (https://mangueira.com.br/)


Comments


dba36d_ed1833afb2024b58a83564e5ff3597ff_mv2.png
20230401_140001.png
bottom of page