top of page

"Chão de Devoção: Orgulho Ancestral" é o enredo da Estácio de Sá para o Carnaval 2024


No final da tarde desse sábado (13), a Estácio de Sá anunciou em sua feijoada o enredo para o próximo carnaval que será desenvolvido pelos carnavalescos Marcus Paulo e Mauro Leite


A Estácio de Sá, consciente do seu papel sociocultural, procura evidenciar a cultura do povo preto em um espaço de resistência, a favor do mínimo de dignidade humana e da legitimação de origens e traços culturais, extremamente, rico e diverso e as religiões de matriz africana que desempenham um papel fundamental na sua expressão.


E foi com a chegada desse povo, da região congo-angolana, em terras brasileiras que a magia africana se infiltrou nesse solo, criando raízes profundas carregadas de fé, cultura e arte mostrando o poder do renascimento e da transformação. Essa força e magia vieram guardadas no coração dessas mulheres.

pretas mães, nossas mães, tias, avós, nossas bases. Não foi nada fácil e, ainda hoje, não é!


O apagamento das histórias e identidades dos pretos e pretas escravizados no Brasil é um fenômeno que ocorreu ao longo de séculos e que tem consequências até os dias atuais. Mas, o nosso povo afro, estrategicamente, criou formas de praticarem suas culturas, sua fé e sua culinária natal. Plantaram suas sementes e, mesmo num solo adverso, puderam florir entre dores e lágrimas. E tem até hoje suas histórias mantidas pela oralidade.


A Primeira Escola de Samba do Brasil vem de forma poética numa livre adaptação artística, e, também, baseado em lendas e em ricos relatos, através desse enredo, dar visibilidade as mulheres pretas guerreiras, que aqui serão "chamadas" com seus possíveis nomes de suas terras natais, ainda livres dos horrores que mais tarde as assolariam. As meninas "Kianda e Mwana ya sanza", Cambinda e Maria Conga, respectivamente, e as estratégias por elas, e, por seus pares, utilizadas em favor da propagação de suas culturas, artes, saberes e suas espiritualidades contra a invisibilidade de suas histórias.


Por fim, cabe salientar que a Estácio tem a clara intenção de combater o apagamento cultural causado por preconceitos estruturais contra tudo que venha do povo afro-brasileiro e a agremiação entende que isso inclui aprender sobre a história das nossas irmãs e dos nossos irmãos vindos de regiões da Africa, cuja, cultura culminou em solo brasileiro em diáspora africana.


Adorei as Almas!


Comments


dba36d_ed1833afb2024b58a83564e5ff3597ff_mv2.png
20230401_140001.png
bottom of page